Cabeçalho 2

sábado, 25 de maio de 2013

Ouroboros

O ouroboros, oroboro, uroboro, uroborus, oroboros, uróboro entre outras formas de se escrever o nome é um dos símbolos que mais aparece em representações alquímicas, é um símbolo normalmente tem um significado simples e ao mesmo tempo profundo.


Desenho de Theodoros Pelecanos no Tratado Alquímico Synosius (1478)

O nome vem do grego οὐρά (oura) significa "cauda" e βόρος (boros) que significa "devora", mas existem que defenda que vem do latim algo como Ouroob, Ouro "rei" e Ob "serpente".

O ouroboro é representado como uma serpente, dragão ou outro réptil mordendo a própria cauda, ficando assim em forma circular, embora em algumas representações forme 2 ou mais círculos ou 2 ou mais serpentes mordendo uma a cauda da outra.

O significado do ouroboro possuí diversas interpretações, o infinito, o universo, o sem fim e por ai vai, mas a melhor palavra pode ser ciclos, mas ainda assim temos diversas interpretações que são amplas e as vezes divergentes.

Imagens da serpente mordendo a própria cauda aparece inicialmente na Grécia, Egíto e até China. Quetzalcoatl um deus Asteca é representado na "forma de ouroboro" em algumas figuras.

Na grande parte das vezes o ouroboro aparece junto de imagens simbólicas, algumas vezes passa até despercebido.
Ao lado temos o Arcano I do Taro de Rider Waite, The Magician, o mago usa um ouroboros na cintura, em algumas versões anteriores do Rider Waite o símbolo é  mais difícil ainda de ser identificado.

Taro de Rider Waite, The Magician

Aqui abaixo temos um desenho de Gabriel Rollenhagen (1583-1619) da qual tem uma série de desenhos ricos em simbologia, a imagem tem escrito em latim "Finis Ab Origine Pendet" algo que traduzido fica como: "O Fim depende do Início."
A imagem quer dizer que a natureza vive em ciclos. Temos uma criança com um crânio, uma simboliza a vida e o outro a morte, estão numa paisagem que representa a natureza, e o Ouroboros em volta representando o ciclo, a vida que acaba e começa de novo.


Finis Ab Origine Pendet - Gabriel Rollenhagen

Carl Gustav Jung fundador da psicologia analítica disse que o ouroboros era o a mandala básica da alquimia, um trabalho individual do ser humano dele mesmo, assim como a serpente que se alimenta dela mesma, o homem deve trabalhar ele mesmo para crescer.

E para fechar um Ouroboros de verdade:


Cordylus cataphractus
Cordylus cataphractus

4 comentários:

  1. ta de parabéns, o texto ta maravilhoso.
    e o tema é muito bom *-*

    ResponderExcluir
  2. ótimo adorei o texto esta de parabéns mas pode acrescentar mais algumas coisas

    ResponderExcluir
  3. OTIMA ESTA EXPLANAÇÃO....JA CONHECIA SOBRE O TEMA E COM ESTE TEXTO CONHECI UM POUCO MAIS...

    ResponderExcluir

Olá! Obrigado por fazer seu comentário!
Saiba que todos os comentários são responsabilidade e opinião dos seus autores e não do site.
Por favor evite ao máximo colocar links de outros sites a não ser que seja necessário, também não faça propagandas do seu site ou blog aqui.