Cabeçalho 2

quinta-feira, 28 de junho de 2012

O Caduceu

Os Chakras e o Caduceu
☤ Muitos deuses carregam objetos consigo em suas representações, armas, ferramentas e etc, isso algumas vezes faz que certos símbolos sejam usados para representar coisas que os deuses eram relacionados, como por exemplo a balança representando a Justiça.


No esoterismo o caduceu é quase sempre visto junto do deus Hermes, esse objeto é basicamente um bastão com duas serpentes entrelaçadas, algumas vezes alado no topo.
Segundo uma lenda o deus Hermes, mensageiro dos deuses havia obtido o caduceu do deus Apolo após dar para ele uma lira e uma flauta, mas existem variações dessa história.


É extensa demais a quantidade de coisas que o Caduceu hoje representa ou é tido como símbolo, um exemplo simbolo representando o comércio.


Ele pode simbolizar a sabedoria e o Hermetismo e para muitos ocultistas a Kundalini, algumas vezes é confundido com o "símbolo de Asclépio" um bastão um apenas uma serpente em volta, símbolo da medicina.


Também pode representar os 7 chacras principais, o positivo e o negativo, a magia e por ai vai.

HermesO bastão algumas vezes trabalhado podia ser usado na época como salvo conduto para simbolizar que a pessoa que o portava/possuía certa autoridade ou era mensageiro de alguém, como no caso de Hermes, mensageiro dos deuses.

O caduceu com duas serpentes o contornando é possivelmente mais antigo que os gregos, esse símbolo foi encontrado em um jarro em escavações na Babilônia, porém inicialmente o caduceu era em forma de um 8.
Mais tarde o bastão adquiriu as duas serpentes, segundo o historiador Higino, quando Hermes passava por Arcádia, uma região da Grécia encontrou duas serpentes enroladas brigando, Hermes para separá-las usou o caduceu e elas ficaram entrelaçadas nele, esse é um dos aspectos de Hermes a diplomacia e quem sabe isso tenha a ver com o equilíbrio também.

Como já foi dito aqui, mais tarde ouve o sincretismo de Hermes com Mércurio e Toth, assim nascendo Hermes Trismegistrus.
Também ouve o sincretismo de Anúbis com Hermes, que deu origem a Hermanubis deus com características de Anúbis e com o caduceu de Hermes.

terça-feira, 19 de junho de 2012

Thoth

Thot-Hermes em Promethea
De todos dos deuses da mitologia egípcia Toth é um dos mais vistos dentro do ocultismo e também um dos meus preferidos.

Toth, Tot, Tôt, Thoth ou Zonga simboliza a sabedoria, escrita,  magia, aprendizagem, arte e assuntos desse tipo.
Na maior parte das vezes Toth é mostrado como metade homem e metade íbis uma ave com bico encurvado para baixo, nas representações artísticas encontradas pelos arqueólogos, geralmente segurando um Ankh em uma das mãos e com uma lua sobre a cabeça.


Também encontramos Toth como um babuíno, ou como metade homem e metade babuíno, as diferenças no modo de apresentar são explicadas pela mudança de época.

As vezes aparece com uma espécie de coroa semelhante a uma lua, no principio ele era um deus lunar e consideravam a lua como seu olho.


É interessante você saber que a escrita era muito importante para o povo daquela época, a partir dela era possível imortalizar as coisas para que não se perdessem com o tempo, os egípcios sabiam muito bem disso, e podemos ver que estavam certos pois uma parte da cultura deles ainda é viva por causa dos hieróglifos, a escrita por meio de imagens e símbolos.
Toth teria sido o escritor do Livro dos Mortos, um conjunto de textos que ficavam junto dos sepultados, uma espécie de manual parara ajudar os novos mortos nesse novo mundo.

A lua também era mito importante pois a partir dela comeram a medir ciclos, outra especialidade de Toth.



Toth como BabuínoImagem de Thoth Biblioteca do Congresso em WashingtonAs "funções" de Toth como deus são muitas, a mais conhecida é como escriba dos deuses.
Esse deus tem 3 variações conhecidas, Toth = Egípcio,
Hermes = Grego e Mercúrio = Romano, isso decorreu devido ao sincretismo, sincretismo significa a "fusão de doutrinas".


Ao lado imagem de Lee Lawrie de Thoth feita em 1939, se encontra em uma das portas da Biblioteca do Congresso Edifício John Adams, em Washington.

Há alguns anos foi encontrado por arqueólogos um local que possivelmente seria a residência dos sacerdotes de Toth, o interessante é que foram encontradas escritos tanto em grego como em egípcio demótico, uma forma de escrita mais avançada que os hieróglifos, uma prova da fusão das culturas grega, egípcias e romana e de seus deuses.

Khmunu, a cidade dos 8 deuses, a principal cidade de Toth mais tarde foi apelida de de Hermópolis.




Conheça também o Dicionário de Mitologia.

segunda-feira, 11 de junho de 2012

The Occult Review

The Occult Review foi uma importante revista britânica que existiu de 1905 até 1951 com Ralph Shirley como editor, este que foi vice-presidente do Instituto Internacional de Investigação Psíquica.
A revista foi chamada por algum tempo como The London Forum.

A descrição da revista dizia " Revista mensal devotada a investigação do sobrenatural e o estudo de problemas psicológicos.", porém ela colocava diversos assuntos sobre o oculto em pauta no modelo de revistas que vemos hoje, diversificando sempre, mas tudo sempre dentro do campo esotérico.

A primeira vez que escutei falar sobre The Occult Review foi no livro Autodefesa Psíquica de Dion Fortune onde ela fala um texto dessa revista com o relato de um ocultista que teve problemas com uma evocação mal sucedida.

Acredito que deve ter sido uma grande batalha manter  uma revista desse tipo em uma época daquelas.
Infelizmente eu só tive acesso a algumas edições, que estão espalhadas pela internet.
É interessante ver o estilo da escrita e o modo de ver da época de um assunto tão amplo, nela diversos assuntos eram abordados como:

Pessoas importantes e conhecidas tiveram seus textos publicas, alguns nomes que naquela época eram conhecidos e hoje não são outros apenas leitores que enviaram suas contribuições para a revista, Edward Arthur Waite famoso ocultista que criou o Tarot Rider-Waite.

Ainda assim a importância dessa revista pode ser medida pelos nomes que contribuíram com ela, alguns deles nós nem mesmo escutamos falar mas eram conhecidos na época, alguns deles.

Acredito que deve ter sido uma grande batalha lançar uma revista desse tipo em uma época daquelas.
Infelizmente eu só tive acesso a algumas edições que estão espalhadas pela internet.
E como vocês podem ver nomes importantes estão lá como:

Aleister Crowley, Dion Fortune, Achad Frater, Israel Regardie, Edward Arthur Waite, Aldous Huxley, Archer Ethel, Edward Maitland, Farr Florença, Fuller JFC, Juste Michael, Meredith Starr, Algernon Blackwood, Crow WB, William Kingsland, Annie Besant, Meher Baba, Alan W. Watts, Paul Brunton, Charles King, Lewis Spence, Leo francesa, Edith K. Harper, H. Stanley Redgrove, EJ Langford Garstin, Sylvan J. Muldoon, Upton Sinclair e muitos outros.

É interessante ver o estilo da escrita e o modo de ver da época de um assunto tão amplo, algo interessante é que diversos assuntos eram abordados como:
Dando uma olhadinha por algumas poucas edições encontrei alguns dos seguintes temas:

  • Botânica Oculta
  • Fenômenos Psíquicos 
  • Astrologia
  • Tarot
  • Psicologia 
  • Hipnose
  • Kaballah
  • Espiritismo
  • Filosofia
Além disso também era possível encontrar propagandas dos mais diversos serviços ou cursos relacionados e obviamente tem muita mais coisa do que eu mostrei acima.

Você pode perguntar porque eu estaria escrevendo de uma revista do século passado, bom nem eu sei, mas acho interessante pelo valor histórico, além disso mostram uma época de transição onde a partir desse momento o homem já tinha um pouco de liberdade de expressão embora esse assunto não fosse muito bem visto.

Achei algumas edições da revista para vender de 1922 até 1940, por 12 mil dólares, você pode achar algumas edições em pdf se procurar na internet.

Occult Review - Janeiro de 1940


Essa ao lado a capa de uma edição em especial da qual  a Hitler é "psicanalisado", como nos recebemos muita carga dos EUA esquecemos que os britânicos também eram inimigos da Alemanha na época, essa edição é de Janeiro de 1945 e a 2ª Guerra Mundial ainda estava rolando.


Dizem que alguns ocultistas ajudaram durante a segunda guerra em um evento que Dion Fortune chama de Magical Battle of Britain, Aleister Crowley também teria participado.





terça-feira, 5 de junho de 2012

Led Zeppelin

A influência do ocultismo no Rock não é nenhuma novidade, até no Brasil temos o caso do Raul Seixas.

Led Zeppelin é um dos casos mais memoráveis, uma banda que inovou e se imortalizou na história do Rock.
Quando se fala sobre "Rock e Ocultismo" e até erroneamente "Rock e Satanismo" essa banda é citada.

LED ZEPPELIN


A banda for formanda em setembro de 1968 com Jimmy Page, John Bonham, John Paul Jones e Robert Plant.

Símbolo da Thelema

Não foi por pouco que Led Zeppelin é uma das bandas que mais se tem relação com ocultismo, só para começar Jimmy Page era fã de Aleister Crowley, tão fã que comprou a Boleskine House, uma mansão que muitos chamam de castelo, que fica próximo ao famoso Lago Ness.
Esse local foi havia sido comprado por Crowley para realizar executar as operações da Magia Sagrada de Abramelin, o lugar fica localizado na Escócia, segundo Crowley era importante estar em um local isolado e longe de pertubações para entrar em contanto com o Sagrado Anjo Guardião.

Aqui uma foto de Jimmy Page na frente da casa da qual ele disse que era assombrada por uma cabeça decapitada.

Jimmy Page na Frente da Boleskine House


Page também tinha uma livraria chamada "The Equinox Booksellers and Publishers”, lá eram vendidas publicações de Aleister Crowley entre outros itens, mais tarde a livraria foi fechada devido ao crescente sucesso da banda.
Também dizem que ele comprou a coleção de livros de ocultismo de Crowley.


Nos anos 70 com o lançamento de Stairway to Heaven e muito sucesso, alguns religiosos dos Estados Unidos afirmaram que musicas de Rock quando escutadas ao remetem mensagens satânicas, e foi dito que Stairway to Heaven era uma dessas músicas.


Em seu quarto álbum, conhecido como ZoSo um dos álbuns mais vendidos da história, o álbum tinha na capa 4 símbolos, um de cada integranteZoso
O álbum não tinha nome algo que chamou muita atenção logo ganhou o nome de ZoSo, nome que o dado símbolo da capa. 


"Nós decidimos que o álbum não poderia ser chamado de Led Zeppelin IV. Cada um de nós decidiu escolher um símbolo metafísico que nos representou individualmente."Robert Plant
  


Os 4 Símbolos do 4º Álbum

O primeiro símbolo Zoso é o símbolo de Jimmy Page, ele é encontrado no livro Ars Magica Arteficii do alquimista Gerolamo Cardano e Dicionário de Ocultismo e Símbolos Alquímicos do escritor Fred Gettings.
Zoso na realidade não é um nome e sim um símbolo usado para rituais do planeta Saturno.
A explicação pode ser por ele Capricorniano que tem como planeta regente Saturno. 

Zoso

O segundo símbolo é o de John Paul Jones foi retirado de um livro de runas e é uma Triquetra.

Triquetra

O terceiro símbolo foi escolhido por John "Bonzo", o símbolo dele é parecido com o de John Paul, pois os 2 fazem partes rítmicas em conjunto devido ao estilo deles que tem um pouco de Blues, o símbolo de um é o do outro meio que invertido e parece ter sido retirado do mesmo livro, também dito em muitas fontes que era visto encontrado em um livro Rosa Cruz, porém é importante avisar que os 2 símbolos não são tão incomuns e podem ser encontrados em diversos outros livros.
Uma outra pista é que a carta do Hierophant no Tarot de Thoth segura um bastão que tem esse símbolo.

O símbolo também aparece na cerveja Ballantine, a preferida dele, o simbolo foi usado na cerveja devido ao "Anel Borromel" que era o brasão de uma família italiana, o símbolo era conhecido por representar 3 laços entrelaçados entre si e caso um deles fosse desfeito os outros 2 também seriam desfeitos, ou seja os 3 deveriam estar unidos, a ideia foi usando representando uma qualidade da cerveja: Pureza, Consistência e Sabor.
Esse tipo de símbolo geralmente representa coisas como a trindade.

Trindade

O quarto e último é o símbolo de Robert Plant, é a pena ou pluma da deusa egípcia conhecida como Ma'at, Maet ou Maat, ela é a deusa da justiça e equilíbrio e usa a pena na sua cabeça.
Os egípcios acreditavam que a deusa da justiça pesava os corações dos mortos em uma balança, em um prato o coração do morto retirado por Anúbis e no outro a pena, a passagem da pessoa para um local bom ou ruim dependia do peso do seu coração, se fosse mais pesado que a pena um local ruim e se fosse mais leve um bom.
Plant disse que esse é um símbolo da civilização Mu, que existiu a 14 mil anos.

Pena de Maat


O Eremita Led ZeppelinNa parte de dentro do álbum temos um velho com capa, ele se apoia em um bastão amarelo e segura uma lanterna, dentro da lanterna existe uma estrela de 6 pontas ou hexagrama. Muita gente confundiu e confunde essa figura com o Gandalf, na realidade essa é a figura do Eremita ou Ermitão, é o 9º Arcano maior do Tarot.

Essa carta simboliza o estudo, a sabedoria, o auto conhecimento e a iluminação.
Na versão em CD a imagem aparece na parte de trás da capa. 


Espero que tenham gostado, esse é texto apenas a título de curiosidade mas podemos ver como um ícone da música pode influenciar e causar as mais diversas reações quando se fala em assuntos místicos e não deixem de escutar Stairway to Heaven.