Cabeçalho 2

sábado, 20 de abril de 2013

Branded

Branded é um filme russo/americano de ficção científica que aborda um tema não muito comum em outros filmes: o Marketing, o consumismo e o poder das grandes corporações.

Quantas vezes você vê o símbolo da Coca-Cola por semana? Se quase tudo que vemos fica gravado no subconsciente, qual será o efeito dos símbolos das grandes corporações lá?

Capa Branded

O filme começa mostrando nomes de diversos personagens históricos, entre alguns deles:
Joana d'Arc, Alexandre, o Grande, Sócrates, Carl Jung, Sigmund Freud, Júlio César...

E depois aparece escrito:
"Todas essas pessoas incomuns ouviram uma voz. Todos eles viram coisas que os outros não vêem. Todos eles mudaram o mundo."

Atenção, um pouco de spoiler:

Branded fala de um mundo semelhante ao nosso, mas com a diferença de que as empresas fast-food estão quase chegando a falência devido a preocupação das pessoas com a saúde.
Os empresários resolvem recorrer ao maior guru de marketing do mundo, ele diz que aparentemente não existe mais uma forma de modificar a situação dentro dos padrões do marketing antigo e então pergunta até que ponto eles estão dispostos a chegar para mudar essa situação.

Em outro lado da história temos Misha, um grande publicitário russo que fez campanhas para a invasão de empresas estrangeiras com a queda do comunismo, e acaba apostando em um Reality Show junto com Abby a sobrinha do seu sócio com quem esta tendo uma relação, o programa de TV tem como foco uma mulher acima do peso que vai passar por uma série de cirurgias até ficar 'bonita".
Mas o programa acabando tendo um grave problema, o que acaba fazendo as pessoas pensarem que a ideia de mudar o corpo é só um imposição da sociedade, o que na realidade foi apenas um truque das empresas de fast-food para colocar na cabeça das pessoas que elas são bonitas da forma que são, e posteriormente que a beleza é obesidade.

Após ser atacado pelas pessoas e saindo como o vilão da história e seu amigo e sócio acabar morrendo por sua causa de uma discussão com ele, Misha acaba por pensar que seu dom para o marketing é uma maldição.
Ele foge da cidade grande e se torna criador de gado no interior da Rússia e alguns anos depois recebe a visita de Abby que estava a procura dele, ela fica na sua casa e tanta fazê-lo voltar para a civilização.
Então ele tem um sonho dentro de um sonho, lá ele escuta uma voz dando instruções para ele fazer algo e quando estiver tudo feito ele vai compreender.
No dia seguinte ele prepara um lugar e sacrifica uma vaca, a queima e depois se banha com água misturada com as cinzas do animal.

Esse ritual realmente existe e é encontrado no Torá, onde quem estava muito impuro poderia fazer esse ritual e se tornar puro novamente.

Após isso Misha desmaia e é levado dessa forma por Abby de volta a cidade, mas quando acorda ele começa a ver parasitas  com aspecto grotesco grudados nas pessoas, e percebe que apenas ele os enxerga, esse foi o resultado do ritual, foi se purificar e ver como as coisas que os outros não podem ver.
Ao chegar na casa de Abby ele descobre que tem um filho, que também tem esses estranhos parasitas e posteriormente descobre que esse parasitas são resultado do vício que as pessoas tem em produtos das grandes empresas como as de fast-food e que por causa dos parasitas as pessoas sempre desejavam mais. Cada vez que a pessoa consumia o parasita ficava maior e um pedaço deles ia para as lojas das indústrias que cresciam cada vez mais e tinhas enormes parasitas acima delas, um ciclo que só fazia as industrias se tornarem mais poderosas.    
      
Então Misha resolve usar seu novo dom de ver as corporações materializadas e seu antigo dom de publicitário para destruir as grandes empresas colocando umas contra as outras e livrar as pessoas dos seus parasitas.

Branded

O marketing é abordado no filme mostrando que ele foi criado para passar a ideia de que possuir um produto ou até uma ideia é ser feliz, por isso as pessoas resolvem procurar sua felicidade e satisfação em objetos.
Mas o que é interessante é a forma de egrégora que as empresas são vistas, como seres com vida própria que se alimentam das pessoas de forma parasita, fazendo elas consumirem seus produtos e enviando mais energia pra a empresa em um ciclo que apenas cresce, nada muito diferente do que vivemos hoje.

4 comentários :

Olá! Obrigado por fazer seu comentário!
Saiba que todos os comentários são responsabilidade e opinião dos seus autores e não do site.
Por favor evite ao máximo colocar links de outros sites a não ser que seja necessário, também não faça propagandas do seu site ou blog aqui.